À frente de Pituaçu, Candeias recebeu maior verba da BA para estádios públicos em 5 anos

0

Sem receber jogos oficiais de futebol desde 2004, o Estádio Municipal David Caldeira, o Caldeirão, em Candeias, recebeu o maior investimento estadual dentre os 47 estádios baianos desde 2015. Segundo levantamento obtido pelo Bahia Notícias via Lei de Acesso à Informação, o equipamento, que está em reforma desde o início de 2018, já recebeu R$ 2.115.957,73 da Superintendência dos Desportos do Estado da Bahia (Sudesb), autarquia vinculada à Secretaria de Trabalho, Esporte, Trabalho e Renda (Setre).

Inicialmente, foram empenhados R$ 1.843.871,68 para os serviços de revitalização de infraestrutura, supraestrutura, estrutura metálica, arquitetura, instalações hidrossanitárias, instalações elétricas, acessórios para prevenção de incêndio e limpeza. A empresa Arrimo Construtora Ltda. venceu a licitação para realizar a obra

Já a Greenleaf Projetos a Serviços S/A venceu a licitação para a segunda etapa e recebeu, até o dia 2 de setembro, R$ 272.086,05 para a implantação do gramado, que inclui instalação do sistema de irrigação, preparo do solo, tratos culturais pós-plantio, pintura e equipamentos.

Atualmente, de acordo com a Sudesb, as intervenções já estão 97% concluídas. A pendência fica por conta de uma reestruturação no muro de proteção do estádio, o que demandará mais R$ 326.734,06 de verba estadual e será a terceira etapa da revitalização. No momento, o processo encontra-se na Coordenação de Licitação (Copel) para finalização do edital.

Segundo nota técnica enviada pela Sudesb ao Bahia Notícias, “é de fundamental importância a reforma do muro, sem o qual não há como garantir a segurança do patrimônio e do investimento público, haja vista as constantes ocorrências de furtos de materiais”.

De acordo com o documento, as duas primeiras etapas da obra tinham prazo de conclusão de 180 dias a partir de maio do ano passado, quando a ordem de serviço foi autorizada. Portanto, as obras estão atrasadas. O novo prazo estipulado pela autarquia para que o equipamento remodelado seja entregue é dezembro deste ano.

Ainda conforme a nota técnica, na próxima semana o plantio da grama deve ser iniciado, com prazo de 90 dias para conclusão.

TOPO DO RANKING
Segundo o levantamento obtido pelo BN, entre 2015 e 2019 houve um investimento de R$ 19.244.444,48 em 47 estádios municipais por todo o estado. O único inteiramente administrado pela Sudesb é Pituaçu, cujo formato de investimento também tem um diferencial: recebe manutenção corretiva e preventiva de forma contínua – a estrutura, inclusive, pode ser concedida à iniciativa privada (leia mais aqui). Mas mesmo sendo um dos três principais estádios e maiores da Bahia, obteve até o início de setembro o valor de R$ 2.101.244,97 – portanto, R$ 341.446,82 a menos que o previsto para a obra pontual do Caldeirão, que conta com capacidade pra quatro mil pessoas.

Embora o estádio de Candeias esteja no topo do pódio de investimentos, há mais de uma década não recebe uma partida oficial de futebol.

A última partida profissional realizada na praça esportiva foi no longínquo 2004, na derrota do Palmeiras Nordeste por 2 a 0, pelo Campeonato Baiano daquele ano. O time, inclusive, não existe mais. Desde então, o estádio recebeu outros tipos de atividades e, nos últimos anos, esteve abandonado, com arquibancadas e estruturas internas deterioradas.

De acordo com comunicado emitido pela Federação Bahiana de Futebol (FBF) no dia 24 de julho deste ano, Candeias desistiu de participar do Campeonato Intermunicipal deste ano, dando lugar a Simões Filho, por conta do atraso na entrega do equipamento. Nos registros da entidade, que em seu sistema disponibiliza as edições da competição até 2011, não consta nenhuma participação de Candeias.

Segundo o secretário de Esportes e Lazer do município, Antônio Gilson Alves Silva, o Bobó, ainda não há, no entanto, um calendário de eventos formulado para quando o estádio for entregue. O titular da pasta condicionou o planejamento do reformulado estádio ao calendário da Sudesb.

INVESTIMENTOS
Para o secretário de Trabalho, Esporte, Trabalho e Renda, Davidson Magalhães, os constantes valores empenhados pelo governo do estado nos estádios baianos servem para fomentar outros esportes além do futebol. “Não existe só o futebol profissional na Bahia e os grandes campeonatos. Competições intermunicipais envolvem diversos municípios. Temos os campeonatos interbairro. Achar que um estádio municipal só tem sentido se tiver jogo profissional é reduzir a visão sobre o que é o esporte amador no estado”, ressalta, em entrevista ao Bahia Notícias. “É um investimento extremamente positivo. Esse é um investimento dos mais solicitados por deputados e prefeitos”, acrescenta.

Por Matheus Caldas / Gabriel Rios / Lucas Arraz

SHARE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui