Odebrecht e Braskem criaram fundação só para repassar propina de US$ 100 milhões

0

Ex-diretor da Odebrecht, Luiz Eduardo da Rocha Soares contou em delação que a construtora e a Braskem criaram a fundação em Andorra para pagar propina de US$ 100 milhões para o empresário baiano Frank Geyer Abubakir. A operação funcionava através de chamadas “empresas de papel” abertas em paraísos fiscais.

Em reportagem publicada nesta quarta-feira (19), o jornal O Estado de S. Paulo lembrou que em 2010, ano que a Braskem comprou o controle da petroquímica Quattor e se tornou a maior companhia do setor, foi necessária a abertura da fundação internacional, que serviu para o pagamento ilegal de US$ 100 milhões a Abubakir, principal acionista da Quattor. Nenhum dos acionistas da empresa, inclusive a Petrobras, soube da operação. A família do empresário Abubakir é conhecida pelas milhares de obras de arte que mantinha na Casa Geyer, no Rio de Janeiro, acervo que foi doado ao Museu de Petrópolis.

Por Bárbara Silveira

SHARE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui