Professor de Goshin Jitsu oferecerá aulas de defesa pessoal em Candeias

0

No próximo ano, o faixa preta em defesa pessoal urbana, o professor Márcio Santos – treinado pelo mestre Paulo Pinto, diretor técnico da Confederação Baiana de Goshin Jitsu –, estará trazendo o curso de defesa pessoal “Goshin Jitsu” para Candeias.

A arte da defesa pessoal inclui 6500 técnicas de ataques e defesas.

A arte de defesa pessoal que habilita qualquer pessoa a se defender de maneira simples e rápida de qualquer tipo de agressão, onde não haja espaço para lances coreográficos, regras ou competições esportivas.

Sua palavra-chave é a objetividade, o objetivo é a auto defesa segura e eficaz para a sobrevivência do homem diante da realidade violenta e hostil em que vivemos.

  • Goshin Jitsu e a violência contra a mulher

Previna-se contra agressões

O Goshin-Jitsu é a mescla de trinta e cinco artes marciais japonesas. Após a Segunda Guerra Mundial (1945), essa arte marcial deixou de existir oficialmente devido à sua eficácia para combate. O Goshin-Jitsu é um método de autodefesa que utiliza golpes com os pés e as mãos esquivas, quedas, ataques, defesas, estrangulamentos e imobilizações.

A violência contra a mulher é uma constante ao longo dos anos.

Sempre encarada como o “sexo frágil”, a mulher é a vítima preferida dos valentões de plantão.

As estatísticas registradas são muito maiores para os maus tratos do que para os ataques sexuais. Os índices de criminalidade vem aumentando ano após ano, apesar dos esforços das autoridades policiais.

A defesa pessoal deixou há muito tempo de ser um artigo supérfluo, de mera curiosidade. As probabilidades de um confronto de rua se tornam maiores a cada dia. Essa é uma triste constatação, mas extremamente real.

A nossa geração atual, infelizmente, está passando por uma fase de selvageria. As pessoas não estão mais preocupadas com as outras e a violência se tornou banal. Uma pessoa encontrada crivada de balas ou destroçada já não causa mais grande repulsa como acontecia há vinte anos atrás. Essa banalização tornou a violência uma coisa quase “normal” para milhares de pessoas.

A violência acontece de diversas maneiras, mesmo quando não há “as vias de fato”. Ela pode ser verbal, através de insultos, provocações e a violência presumida, que ocorre em forma de ameaças.

Qualquer ato que atinge nossa integridade moral ou intelectual pode ser caracterizado como uma violência.

A violência contra a mulher pode acontecer em qualquer lugar, como, no trabalho, na rua ou mesmo em casa. A esmagadora maioria das agressões sofridas pelas mulheres e seus filhos ocorrem em casa, por parte de parentes ou conhecidos, segundo afirmam as autoridades.

A paranóia de sentir medo de tudo e de todos é a maior praga do nosso século. Viver com preocupação, em constante tensão, não é apenas prejudicial à saúde, como não adianta nada.

Qual a sáida para as cidadãs se defenderem? Que atitudes tomar frente a essa violência cerscente?

No curso de Goshin-Jitsu, além das técnicas de defesa e contra-ataque aprende-se maneiras corretas de andar nos mais diversos locais, dicas, o que é incorreto e o que não se deve fazer em determinado momento e maneiras de prevenção.

A mulher possui a melhor arma de defesa: a inteligência.

Informações da Academia Shibumi

 

SHARE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui