Vereadores acusam Niltinho de ‘roubar’, ‘mentir’ e participar de esquema na Creche de Madre de Deus

0

Os vereadores de oposição usaram o plenário da Câmara de Madre de Deus na terça-feira (17), para rebater as declarações feitas pelo deputado estadual Nilton Bastos (PP) em entrevista à Rádio Metrópole, na segunda-feira (16). Ele afirmou que as denúncias contra o prefeito Jeferson Andrade (PP) são “irresponsáveis” feita por “vereadores que não tem serviços prestados” na cidade. A bancada oposicionista se revezou no plenário fazendo críticas e acusações ao deputado.

Em discurso, o vereador Kikito Tourinho (PP) chamou o deputado de “mentiroso”, “agora não é [só] o prefeito Pinóquio não, agora são dois Pinóquios”, vergonhoso, e disse que Nilton foi para rádio destacar os serviços do município, mas os funcionários do Hospital ficaram sem o café da manhã.

De acordo com líder da posição na Câmara, Juscelino Silva (PP), Nilton diz que é deputado de Madre de Deus, mas nunca fez nada pela cidade.

“Ao contrário, Madre de Deus que deu ele o mandato. Ele não deu em contrapartida nada pra cidade, esse deputado que aí está, Nilton Bastos. Ele simplesmente chegou em Madre de Deus foi ser secretário”, disse.

Ele declarou que o deputado “chegou aqui para levar os recursos” da cidade, ainda afirma que os vereadores não fazem nada.

“Realmente, porque quem trouxe a [empresa] MSS para fazer a Creche com nota superfaturada não foi Juscelino, foi o deputado Nilton Bastos”, frisou.

Da tribuna, Val Peças (PSL) intensificou as críticas a Nilton ao apontar um suposto envolvimento do deputado com irregularidades na prefeitura.

Aos gritos, Val acusou o deputado e a gestão municipal de estarem “roubando” os tickets de alimentação dos pacientes que fazem Tratamento Fora do Domicílio (TFD), e ressaltou que quer que o Ministério Público da Bahia (MP-BA) venha para o município para fiscalizar as irregularidades. Em seguida, questiona aonde o então secretário de governo gastou junto com o prefeito R$ 7,2 milhões com asfalto.

“Eu quero que o Ministério Público venha ver uma obra que vocês fizeram no PSF-3, que a sala está lá toda cheia de mofo, e que, os pacientes e os  médicos não tem condições de entrar. Eu quero que o Ministério Púbico venha Nilton Bastos pra ver a Farmácia Básica vazia e sem remédio. E muitas das vezes os pais de família tem que comprar, e muitos que não tem  pra comprar procura a gente político [sic]”, afirma.

Val ainda acusa Nilton de usar o nome do funcionário do mercado do pai dele para registrar a empresa MSS que venceu uma das licitações para obra na Creche Frey Godofredo.

“Depois colocou uma aposentada que ganha salário mínimo para ser sócia da MSS que iniciou a [obra na] Creche de Madre de Deus, mas Nilton Bastos seu nome está no Ministério Público”, asseverou.

O parlamentar afirmou ainda que uma “bomba vai estourar” e fez um alerta para os aliados: “Eu peço as vossas excelências que fazem parte do governo, pulem fora”.

Ele também relatou que desde janeiro a empresa responsável pelos exames não recebe pagamento e que os equipamentos seriam levados, disse ainda, que o contrato entre a empresa que administra o Hospital e a prefeitura foi fruto de uma parceria para eleger Nilton como deputado estadual.

A vereadora Jodiane Alves (PRB) definiu a declaração de Nilton na rádio como “infeliz” e que espera que  ele peça “desculpas”.

“Ele foi pra lá defender na Rádio Metrópole e a comunidade ligou desmascarando, dizer que o tempo integral na cidade é 100%, que a saúde… Realmente a saúde de Madre de Deus lá consta como 100% coberta, mas vá ver a qualidade. Vá no Tempo Integral lá”, afirma.

Ele também parabenizou os professores e funcionários que acabam carregando a responsabilidade nas “costas” do Ensino de Tempo Integral. A parlamentar acresenta “que não tinha necessidade de ser feito desse jeito, aí a gente é errado de está falando”.

Informações do Bahia Manchetes

SHARE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui